Como um sujeito comprovadamente um fracasso como advogado recebeu R$ 68 milhões de honorários do Sistema “S”?

Cristiano Zanin não é um incapaz, de forma alguma. É apenas um sujeito extremamente limitado, advogado de pequenas causas, sem condições intelectuais para atuar em grandes demandas.

Ficou rico em função do matrimônio. Casou-se com Valeska Teixeira, filha de um comparsa do meliante Luiz Inácio Lula da Silva, o advogado Roberto Teixeira.

Nascia a arapuca denominada ‘Teixeira, Martins Advogados’, com quatro sócios, Roberto, Cristiano, Valeska e Larissa, a outra filha de Roberto.

Com Lula na presidência, o escritório não abraçou grandes causas, por mera falta de capacidade, mas abraçou grandes negócios e negociatas.

O esquema da Varig, denunciado brilhantemente por um ex-comandante da empresa, foi um tiro certeiro (Veja Aqui).

E assim, Cris ficou milionário e virou um poço de arrogância e indecência.

A causa de Lula tornou-se a primeira grande contenda do escritório.

Um fiasco! Nem Sepúlveda Pertence conseguiu salvá-los.

Daí, um absurdo que o sistema ‘S’ tenha arcado com a bagatela de R$ 68 milhões de reais, a título de honorários para o escritório ‘Teixeira, Martins’.

Segundo Cris, foram ‘causas de alta complexidade’.

Não é verdade. Falta-lhe capacidade intelectual para tal.

É um caso que merece e exige uma profunda investigação.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
[email protected]

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas