Delinquentes que tentaram matar empresário em frente ao Instituto Lula devem ser presos hoje

O ex-vereador Maninho do PT e o seu filho Leandro Eduardo Marinho, seguranças do senador Lindbergh Farias, tiveram a prisão preventiva decretada nesta sexta-feira (11) pela juíza Débora Faitarone da 1ª Vara do Tribunal do Júri de São Paulo.

Os mandados de prisão devem ser cumpridos ainda neste sábado (12).

A dupla é acusada de tentativa de homicídio duplamente qualificado – “por motivo torpe e por dificultar a defesa da vítima” – contra o empresário Carlos Alberto Bettoni, no dia 5 de abril, em frente à sede do Instituto Lula, em São Paulo.

Na decisão que decretou a prisão dos dois petistas a juíza discorreu sobre o estado de saúde do empresário agredido e relatou alguns detalhes sobre o crime:


“O estado de saúde dela [vítima] ainda é gravíssimo, não obstante já tenha deixado o hospital. O laudo pericial juntado aos autos acusa traumatismo craniano (ferimento corto contuso na região da cabeça com afundamento parietal posterior a esquerda. Hemorragia em lobo frontal e temporal direitos e traumatismo com fraturas na porção óssea do septo nasal)”.
“Eles não podem permanecer em liberdade após a prática de um crime doloso contra a vida, praticado de maneira tão covarde”.
“As imagens demonstraram que a vítima, por diversas vezes, pediu para que os réus mantivessem a calma. Ela ergueu o braço, com a palma da mão aberta e implorou para que eles cessassem as agressões. Ela tentou fugir dos réus, mas infelizmente não conseguiu”.
“Mesmo com a vítima caída, com uma poça de sangue que escorria pela sua cabeça em via pública (ela parecia estar convulsionando), os réus afastaram-se do local, demonstrando frieza e total desprezo pela vida humana”.
Veja o vídeo:

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça