A Globo virou o cocho onde comeu no Regime Militar

O festival que está fazendo a Rede Globo em cima de um memorando secreto da CIA (Agência de Inteligência Civil do Governo dos EUA), de 1974, que se refere a uma eventual participação dos Presidentes Geisel e Figueiredo, que sabiam e teriam autorizado a execução de vários agitadores e terroristas da época, evidentemente tem que ser visto com muitas reservas.

Para começo de conversa, as esquerdas brasileiras sempre vincularam a CIA e tudo o mais que se referisse aos Estados Unidos, ao próprio “demônio”.

Como esta “bomba”, recém tornada pública pelo Governo Americano lhes favorece politicamente, apesar dos pretensos fatos terem ocorrido ainda na década de 70, os “caras” se aligeiraram a dar total veracidade à essa versão, provavelmente inverídica ou distorcida, ao mesmo tempo absolvendo a entidade “demoníaca” americana dos seus “pecados” passados.

Ademais, o conteúdo de um simples memorando, desacompanhado de outras provas, jamais serviria, em qualquer Justiça do Mundo, isoladamente, como prova para condenar alguém. Qualquer juiz no início de carreira indeferiria como “prova” uma informação “solta” como essa, desacompanhada do reforço de outras provas.

Na verdade não poderia haver melhor oportunidade às esquerdas para dar crédito ao conteúdo desse “memorando”, divulgando-o na mídia ao máximo, através das “globos-da-vida”, no exato momento em que os militares estão conseguindo desmanchar muitas mentiras que construíram sobre eles desde que a esquerda assumiu o poder, a partir do “socialista fabiano” FHC, onde a “desgraça” começou.

A esquerda com certeza entrou em pânico, observando o crescimento espantoso da sua oposição política, com engajamento de alguns generais de prestígio, e outros Oficiais da Reserva, que resolveram concorrer ou participar por outras formas nas próximas eleições presidenciais.

Os “Petralhas & Cia” devem ter levado um “susto” com as primeiras pesquisas eleitorais. Seria necessário uma reação enérgica, nem importando os métodos necessários. E no desespero, certamente até a mentira, ou algum factoide, poderia servir. Foi o que aconteceu, certamente.

Então não haveria melhor “prato” para tentar matar o concorrente no nascedouro do que dar total autenticidade a essa versão não bem explicada, vinda de uma única fonte.

Seria absolutamente impossível que esse segredo tivesse sido guardado num cofre durante mais de 40 anos, só surgindo “milagrosamente” agora, às vésperas da eleição presidencial brasileira. E sem outras provas para confirmar as frágeis informações.

Importa salientar que as tais “Comissões da Verdade”, a serviço da esquerda, vasculharam quase todos os arquivos do mundo, durante mais de dois anos à procura de documentos comprometedores dos militares e jamais encontraram nada.

A sem-vergonhice da Globo passou de todos os limites. Um dos maiores pecados do Regime Militar foi o de ter “alimentado” o crescimento dessa organização e contado com o seu apoio durante o tempo em que governou.

Com o desgaste natural do Regime Militar, na primeira metade dos anos 80, a Globo gradativamente foi retirando o seu apoio “mercenário” e passou a trabalhar por uma “mudança”, que acabou recaindo na “praga” do Sarney e sua “Nova República”, de 1986, onde começou o desastre político do Brasil.

Novamente “pulando de galho”, na busca de mais uma vez encostar-se no Poder de “plantão”, ambos fingiam que era inimigos, perante a opinião pública, mas a Globo acabou “associada” política do PT, onde “mamou” enquanto esse partido governou, de 2003 a 2016.

Todo o mundo sabe que o pessoal do PT acumulou ilicitamente verdadeiras fortunas, ”bilhões” mesmo, durante os seus governos.

A Operação Lava Jato demonstrou essa realidade. Por esse motivo a Globo deve ter optado por se manter fiel ao PT e aos seus comparsas, onde está o dinheiro. Dos militares ela já teria tirado o que deu e agora eles não teriam nada mais a dar.

É claro que a Globo optou pelo PT, onde “jorra” muito dinheiro, para que no futuro ela possa receber uma generosa “compensação”, o seu papel mais importante agora seria ajudar a destruir a “ameaça” que sofre a esquerda nas próximas eleições.

Para isso nada melhor que destruir a reputação dos militares. Esse foi com certeza o motivo dominante de ter abraçado de corpo e alma a historinha mal contada da “execução de terroristas” no Regime Militar, que chegou por encomenda, no momento exato.

Deu para entender o motivo do título que abre esse texto?

Sérgio Alves de Oliveira

Advogado, sociólogo,  pósgraduado em Sociologia PUC/RS, ex-advogado da antiga CRT, ex-advogado da Auxiliadora Predial S/A ex-Presidente da Fundação CRT e da Associação Gaúcha de Entidades Fechadas de Previdência Privada, Presidente do Partido da República Farroupilha PRF (sem registro).

Siga-nos no Twitter!

Mais de Sérgio Alves de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas