Terrorista, que detalha execução, foi anistiado e indenizado (Veja o Vídeo)

Ante a virulência do PT e da esquerda com a revelação do suposto memorando da CIA - a agência de investigação do governo americano – publicamos nesta segunda o tenebroso depoimento de Carlos Eugênio da Paz, o homem que cuidava da agência militar da Aliança Libertadora Nacional (ALN), o grupo terrorista de Carlos Marighella.

No depoimento, Clemente, pseudônimo de Carlos Eugênio, conta com detalhes como executava os seus inimigos. Veja no vídeo:

O fato que é de causar repulsa, notadamente para aqueles que estão mais indignados com o documento da CIA, cuja veracidade é absolutamente questionável, é que Carlos Eugênio da Paz, por tudo o que fez e relata no vídeo acima, foi indenizado pela Comissão da Anistia.

Vale ainda dizer, que Clemente cometeu outros assassinatos e confessou. Num deles matou um amigo. A vítima foi Márcio Leite de Toledo, membro da cúpula da ALN.

Clemente desconfiou de que Marcio poderia trair a ALN. Convenceu o restante da cúpula e em 23 de março de 1971, o rapaz de apenas 19 anos foi executado impiedosamente.

Hoje, Clemente admite que aquela execução foi um erro, mas esclarece: “Na guerra, essas coisas acontecem”.

Como está Clemente?

Está bem, vivendo tranquilamente com o nosso dinheiro, graças ao seu 'heroísmo'.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
[email protected]

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas