Defesa de Lula suplica a Fachin que não envie a Moro delação de Joesley

Em mais um desesperado petitório, a defesa de Luiz Inácio Lula da Silva tenta apontar ao ministro Edson Fachin, qual o caminho ele deve seguir com relação aos termos da delação premiada do empresário Joesley Batista, que envolvem o nome do ex-presidente.

Querem tudo bem distante do juiz Sérgio Moro.

Segundo o Estadão, ‘a defesa de Lula ressalta que já tramitam em Brasília três investigações no âmbito da delação do grupo J&F que apuram uma suposta conta mantida em benefício do partido e do ex-presidente. A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu que as novas informações sejam enviadas tanto à Justiça Federal em Brasília quanto ao juiz Sérgio Moro’.

Cristiano Zanin não quer que os termos da delação de Joesley cheguem ao conhecimento de Moro e utiliza o seguinte argumento:


“Tal pleito, com todo o respeito, a um só tempo incorre na possibilidade de o peticionário vir a ser investigado/processado por fatos similares em juízos distintos, afigurando evidente situação de insegurança jurídica”.
Joesley afirma em sua delação que avisou pessoalmente Lula e Dilma Rousseff sobre as duas “contas-correntes” de propina no exterior.

O saldo das contas era de US$ 150 milhões, afirmou o Joesley.

O comportamento da defesa de Lula, buscando impedir que tais informações cheguem na ‘República de Curitiba’ parece ser uma notória confissão de culpa.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça