Sepúlveda tripudiou sobre a OAB que covardemente quedou-se inerte

Numa entrevista para o jornal Folha de S.Paulo, em março deste ano, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), ora no exercício da advocacia em favor do meliante Luiz Inácio Lula da Silva, quebrou flagrantemente o código de ética da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O estatuto da OAB é claro, ele proíbe os advogados de atuarem de graça em causas com fins eleitorais e políticos.

Não obstante, ser inacreditável que Sepúlveda esteja atuando de graça. Aliás, é sabido que ele faturou muitos milhões, nessa entrevista mencionada, o ilustre jurista afirmou que está trabalhando para o ex-presidente sem perceber nenhum centavo a título de honorários.

Dá o nó duas vezes e erra duplamente. Quebra o código de ética da entidade e, face a declaração, fica isento do pagamento do imposto de renda.

O estranho é que a OAB até o momento sequer se manifestou.

Pura, indisfarçável e repugnante conivência.

da Redação

Comentários

Mais em Direito e Justiça