JM Almeida

João Maurino Sernaglia  Almeida Filho. Bacharel em Ciências Econômicas e Ciências Jurídicas. Professor liberal de Matemática Financeira Aplicada. Investigador da Filosofia. Investigador Criticista/Racionalista

Arte em Destaque: SANTA CASA 100 ANOS DE SOLIDARIEDADE

Uma história de sonho, luta, morte e renascimento é tema do Teatro Documentário encenado por funcionários e colaboradores do hospital

Orgulho da sociedade sul-mato-grossense a Santa Casa de Campo Grande, cuja mantenedora é a Associação Beneficente de Campo Grande/ABCG, vem comemorando o seu centenário ao longo deste ano, com empreendedorismo, renovação, ampliação, modernização, humanização no atendimento, maior participação e reciprocidade com a sociedade em que está inserida, além da coragem desmedida de sua Administração que, apesar de todas as adversidades, vem superando os obstáculos que não são poucos.

É de se destacar que, não obstante os desafios enfrentados, a Instituição alcançou um nível de excelência comparável a outras entidades similares, inclusive, as sediadas em cidades cosmopolitas como São Paulo e Rio de Janeiro. E isso é fruto da união de esforços de governos, empresários, profissionais da saúde e afins, mas, principalmente, da sociedade solidária e absolutamente consciente da necessidade de colaborar por todas as formas possíveis para o pleno desenvolvimento do hospital que já é um patrimônio do Estado.

Ao longo desse período há muita história bonita, emocionante, de lutas e sacrifícios de homens e mulheres que se dedicaram para que a Instituição se desenvolvesse e chegasse até aqui. Toda a narrativa dessa belíssima história pode ser conhecida no livro “Santa Casa | Patrimônio de Mato Grosso do Sul | 1917-2017” 

Sobre o livro, nas palavras do Vice-presidente:


“(...) Não foi tarefa fácil, diga-se de passagem, afinal são 100 anos de história e, apesar dos registros documentais, os fatos da vida associativa perdem-se no tempo, porquanto lá se foram pelo menos duas ou três gerações desde os fundadores.” Heitor Rodrigues Freire
Inúmeros eventos foram realizados ao longo deste ano com o objetivo de elevar, ainda mais, a visibilidade da Santa Casa como hospital do povo; um lugar de acolhimento, tratamento, respeito à dignidade da pessoa humana e cura.

Mas, há de se ressaltar, igualmente, a natureza sociocultural desta instituição.

No apagar das luzes deste ano, o cerramento das cortinas do palco das comemorações, ficará a cargo de um grupo seleto de funcionários que se fizeram atores.

Em celebração aos 100 anos da maior instituição civil de Mato Grosso do Sul, um espetáculo de Teatro Documentário encerrará o ano de 2017 com temporada de estreia nos dias 11,12 e 13 de dezembro, às 19h, no Auditório Carroceiro “Zé Bonito”, no interior da Santa Casa, com entrada franca.

Nas palavras dos idealizadores:

“O espetáculo ‘Santa Casa: 100 Anos de Solidariedade’ é representado por 11 funcionários e colaboradores que se reuniram semanalmente, de abril a novembro deste ano. Os encontros passaram por três etapas: uma oficina de criação teatral, que os inseriu no universo das artes cênicas, a criação da dramaturgia, com pesquisa, entrevistas, improvisações a partir das vivências dos funcionários, e a montagem do espetáculo. Os participantes têm de 25 a 60 anos e trabalham em diferentes setores do hospital: enfermaria, plantão, serviço social, oncologia, ambulatório, manutenção e atendimento. As diretoras e dramaturgas Andréa Freire e Conceição Leite, responsáveis pelo processo criativo, optaram pela linguagem do Teatro Documentário. A encenação é associada a uma ideia documental, com inserção do real através da reutilização de fontes e documentos históricos que se relacionam com a estética e a poética do espetáculo. O que está em cena tem um vínculo direto com a realidade social dos atores. A utilização da tecnologia do audiovisual com projeção de documentos, fotos, discursos, canções, harmonizam com rápidas trocas de ambientes, figurinos, iluminação e promovem uma dinâmica que busca também otimizar o ambiente da encenação, que é o Auditório Carroceiro ‘Zé Bonito’.”
No elenco: funcionários e colaboradores do hospital: Ana Valu, Bernadete Pavão, Claudio Teatro documentário Marcilio, Eliane Apda Falcão Costacurta, Elizângela Marques de Souza da Costa, Harley Castro, Ilma Mendonça, Joceli Barbosa dos Santos, Marcio Higo, Tauany de Lara e Vilma Miranda. Na equipe de criação: Andréa Freire e Conceição Leite, texto e direção; Telumi Hellen, figurinos; Rafael Mareco, videocenografia; Jonas Feliz, trilha musical, Franciella Cavalheri, supervisão corporal; Stepheen Abrego, iluminação; Belchior Cabral, produção executiva e sonoplastia; Helton Perez/Vaca Azul, fotografia e audiovisual; Lula Ricardi, design; Marruá Arte e Cultura, produção geral. A Realização é da Associação dos Amigos da Santa Casa.



SANTA CASA: 100 ANOS DE SOLIDARIEDADE – um teatro documentário 

Tempo de duração: 60 minutos.

Uma encenação histórica e comovente.

Temporada de estreia: 11, 12 e 13 de dezembro, às 19h.

Entrada franca.

Local: Auditório Carroceiro Zé Bonito - Santa Casa. Rua Eduardo Santos Pereira, entre as ruas Rui Barbosa e 13 de Maio.

Os ingressos devem ser retirados nos dias de apresentações no Departamento de Eventos da Santa Casa – próximo ao auditório. Não será permitida a entrada após o início do espetáculo. Informações: 9 8136-0468 whatsapp

Assista ao vídeo abaixo

JM Almeida

João Maurino Sernaglia  Almeida Filho. Bacharel em Ciências Econômicas e Ciências Jurídicas. Professor liberal de Matemática Financeira Aplicada. Investigador da Filosofia. Investigador Criticista/Racionalista

Mais de JM Almeida

Comentários

Notícias relacionadas